Produção de peças de barro se torna fonte de renda para famílias de Brejinho

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Do Portal JP

Em Brejinho, no Sertão de Pernambuco, um grupo de mulheres descobriu no barro a principal fonte de renda de suas famílias. Em 2007, surgiu às margens da PE 275, rodovia que liga Pernambuco a Paraíba, o Grupo de Mulheres Art’s Barro. Um espaço onde mulheres produzem e comercializam peças de barro.

Tudo começou quando estas donas de casa tiveram a oportunidade de participar de um curso de artesanato em cerâmica, oferecido pela Prefeitura de Brejinho e coordenado pela professora aposentada, Janete Rodrigues da Costa. No total, 16 mulheres fizeram o curso.

De acordo com Maria do Desterro Alves, 34 anos, líder do grupo, pelo menos seis famílias vivem da arte do barro em Brejinho. As mulheres não tem renda fixa, ganham por produção. Os lucros já cresceram significativamente, desde a criação do grupo de artesãs. “Começamos o trabalho ganhando R$ 10,00 por mês, agora cada mulher recebe cerca de R$ 250,00, além de benefícios do Governo Federal”, disse a líder.

Os principais clientes do Art’s Barro são padres, donos de restaurantes e donas de casa. Os conjuntos de feijoada, jarras, barris, bacias e travessas, são as peças mais vendidas. Atualmente elas produzem 15 tipos de objetos. Os preços variam de R$ 10,00 a R$ 60,00. Além da venda na região, e em outros estados brasileiros, as peças já foram comercializadas até em Roma, na Itália.

[+] veja as fotos

As artesãs já participaram da Feira de Economia Solidária do Rio de Janeiro, Feira Ecológica de Triunfo, em Pernambuco, além de outros eventos promovidos na região. Elas são patrocinadas pela Casa da Mulher de Afogados da Ingazeira, também no interior de Pernambuco.

Antes dessa atividade, as mulheres buscavam o sustento da família na roça ou simplesmente tomavam conta da casa. Segundo Maria Madalena, 35 anos, uma das artesãs, a vida mudou muito depois do novo trabalho. “Eu vivia na roça, hoje tenho uma vida melhor. Antes era muito difícil”, falou Madalena. A artesã ainda disse gostar muito do que faz.

A matéria prima, o barro pedra de sabão, vem de Matureia, na Paraíba. O processo de produção não é simples. O barro é pisado, peneirado, colocado de molho, moldado e após 15 dias, recebe o acabamento final.

A loja de arte em barro abre de domingo a domingo, das 7h às 17h.

Por Jean Philippe

2 comentários:

ROSIMERE (DIRETORA DA EPAC) disse...

TAMBÉM ACHO EXELENTE O TRABALHO DESTAS MULHERES! E PARABÉNS POR DIVULGA-LO AQUI!

Anônimo disse...

Parabéns a todas as mulheres do grupo pelo trabalho belissimo.Vocês sabem o por que deste sucesso e reconhecimento é graça a coragem e determinação de cada uma vocês que sempre fez a diferença em tudo!!!

Postar um comentário